Metas Educativas

1. A Proposta Educativa da Escola Salesiana aponta para uma educação integral onde Educação e Evangelização dão as mãos, assim como a Fé e a Vida.
2. A promoção integral da pessoa leva o educador a colocar o educando no centro do ato educativo no processo de crescimento humano e cristão; a desenvolver corpo, inteligência, sentimentos e vontade para viver em harmonia com o mundo, consigo mesmo, com os outros e com Deus.
3. Uma personalidade conformada com Cristo, segundo a espiritualidade juvenil salesiana, é a grande finalidade de todo o dinamismo de crescimento que tem como ponto de partida o encontro com a pessoa do jovem e a sua inserção num ambiente educativo. Como espaço educativo, a comunidade educativa desenvolve a sua ação segundo as áreas seguintes: educativo-cultural, evangelização e catequese, associativa e vocacional.
4. A dimensão educativo-cultural favorece um processo de crescimento pessoal e social que torna o jovem protagonista da própria vida, capaz de se abrir a Deus e de assimilar criticamente a cultura e fazer um discernimento ético segundo uma visão cristã do mundo, da vida e da cultura; insere o educando responsavelmente no próprio contexto social e cultural e estimula-o a lutar contra toda a espécie de marginalização; ajuda o jovem a personalizar os valores e a desenvolver a dimensão religiosa da pessoa.
5. A dimensão da evangelização e da catequese enfrenta desafios e faz opções. A secularização desafia a criação de ambientes educativos cheios de valores evangélicos; o pluralismo religioso convida a caminhos sistemáticos de educação para a fé nos grupos; a irrelevância da fé contrapõe-se ao compromisso cristão e à abertura ao transcendente que ajuda o jovem a encontrar-se com Cristo.
6. A dimensão associativa considera o grupo como um ambiente educativo e de evangelização, e o movimento juvenil salesiano como uma larga oferta associativa, onde o estilo de animação ajuda o jovem nas relações com os outros e na sua inserção na sociedade e na Igreja.
7. A dimensão vocacional ajuda o jovem a viver a sua vida como vocação e a assumir o próprio projeto de vida, na Igreja e na sociedade. É fundamental o testemunho dos educadores assim como o ambiente, os modelos de vida, as experiências de interiorização e de serviço gratuito e de contacto pessoal.

 

Imprimir Email